Atividades físicas e memória caminham lado a lado

Se o esporte é bom para o corpo, ele também parece ser bom para o cérebro.


Ao avaliar o desempenho da memória após uma sessão de atividade esportiva, neurocientistas da Universidade de Genebra, na Suíça, demonstraram que uma sessão de exercício físico intensivo - 15 minutos em uma bicicleta ergométrica - melhora a memória, incluindo a aquisição de novas habilidades motoras. A memória melhora por meio da ação dos endocanabinoides, moléculas conhecidas por aumentar a plasticidade sináptica. Segundo a equipe científica, essa descoberta destaca as virtudes do esporte para a saúde e para a educação: Programas e estratégias escolares que visam reduzir os efeitos da neurodegeneração na memória podem de fato se beneficiar disso.

Exercícios, especialmente os de resistência,

como corrida ou ciclismo, produzem euforia. Isso se deve aos endocanabinoides, que também atuam no hipocampo e, portanto, ativam a memória.


Esporte e memória - Muitas vezes, logo após um exercício esportivo, especialmente de resistência, como corrida ou ciclismo, a pessoa sente um bem-estar físico e psicológico. Essa sensação se deve aos endocanabinoides, pequenas moléculas produzidas pelo corpo durante o esforço físico. "Eles circulam no sangue e cruzam facilmente a barreira hematoencefálica, a barreira que protege o cérebro. Eles então se ligam a receptores celulares especializados e desencadeiam essa sensação de euforia. Além disso, essas mesmas moléculas se ligam a receptores no hipocampo, a principal estrutura cerebral para o processamento da memória," explicou a professora Kinga Igloi. "Mas qual é a ligação entre esporte e memória? Isso é o que queríamos entender," prosseguiu. Além de submeter os voluntários a testes de memória, a equipe procurou por mudanças na ativação das estruturas cerebrais usando exames ressonância magnética funcional e realizou exames de sangue para medir os níveis de endocanabinoides. As diferentes análises apontam todas na mesma direção: Quanto mais rápidos os indivíduos são, mais eles ativam o hipocampo, a área de memória do cérebro e o núcleo caudado, estrutura cerebral envolvida nos processos motores.

O esforço físico e a atividade cerebral - Os níveis de endocanabinoides seguem a mesma curva: quanto mais alto o nível após um esforço físico intenso, mais o cérebro é ativado e melhor é o desempenho do cérebro. "Essas moléculas estão envolvidas na plasticidade sináptica, ou seja, na forma como os neurônios se conectam entre si e, portanto, podem atuar na potencialização de longo prazo, o mecanismo de consolidação da memória," disse a pesquisadora Blanca Bosch.


(Texto extraído do artigo científico Effect of acute physical exercise on motor sequence memory, dos autores Blanca Marin Bosch, Aurélien Bringard, Maria Grazia Logrieco, Estelle Lauer, Nathalie Imobersteg, Aurélien Thomas, Guido Ferretti, Sophie Schwartz, e Kinga Igloi, publicado na revista Nature Scientific Report)

Saúde e longa vida!


Instituto Ortopedia & Saúde | 11 3289 8000

Instituto Ortopedia & Saúde

Rua Itapeva, 490 - 10o. andar - São Paulo, SP (Próximo da Av. Paulista e do Metrô Trianon-Masp)

Telefones:  (11) 3289 8000  |  (11) 3373 8899  |  faleconosco@ortopediaesaude.org.br

Acompanhe-nos pelas redes sociais

  • TV Saúde no Youtube

Curadoria:  Rodrigo N. Ferraz  |  rodrigo@upbeatconsulting.com.br  |  55 11 5199 2919