De que forma as mudanças de hábitos afetam o seu bem estar?


Muitas são as tarefas que fazemos no dia-a-dia de forma automática, ou seja, sem pensarmos em como as estamos fazendo, tais como: dirigir um carro, andar de bicicleta, escovar os dentes. Segundo um estudo, apenas 60% das nossas ações diárias são realmente baseadas em decisões, os outros 40% são hábitos.

Por que resistimos em adquirir hábitos positivos como levantar cedo, ou tomar menos café ao longo do dia, ou ainda começar uma rotina de atividades físicas? Por que nosso cérebro precisa primeiro aprender a fazer isso.

Entender o que é um hábito pode ser determinante quando precisamos mudá-lo. Segundo o professor de neurociência da Universidade de Cambridge, Wolfram Schultz , hábitos são sequências de ações aprendidas que após repetidas muitas vezes são realizadas utilizando o mínimo de esforço mental.

Sempre que repetimos um comportamento, ele se fixa em circuitos especiais do cérebro, relacionados a sua parte mais primitiva (inconsciente, automático, não gasta energia). A repetição de ações nos faz economizar energia.

Porém, o neocortex que é a parte mais recente e desenvolvida do cérebro, monitora estes comportamentos; ele é responsável pelo planejamento, pelos pensamentos abstratos e pela razão. Embora pareça que muitas coisas são feitas somente no “piloto automático”, em algum nível estamos decidindo o tempo todo e estamos no controle de nossos hábitos.

Entretanto, fazer mais do mesmo, muitas vezes, nos mantém na zona de conforto. Por isso é importante entender como funciona o hábito.

Charles Duhhig, jornalista que compilou uma grande variedade de estudos sobre os hábitos e escreveu O Poder do Hábito explica em seu livro o loop do hábito, processo que representa como um hábito se forma.

  1. Deixa – Gatilho responsável pela ação ou por determinado comportamento.

  2. Rotina – tarefa realizada a partir da deixa.

  3. Recompensa – um prêmio pela realização da tarefa.

A recompensa está relacionada à descarga de neurotransmissores do prazer como a dopamina e a endorfina. Quanto mais prazeroso é o prêmio, mais vontade você terá de repetir a rotina. Mas, quando você precisa mudar uma rotina, é necessário repensar a deixa e a recompensa. Muitas vezes, a deixa pode estar associada a uma crise, ou algo que incomoda e nos faz querer mudar desesperadamente nossa rotina.

Quando estamos com a nossa saúde debilitada decorrente de uma série de hábitos relacionados a uma vida sedentária aí também pode estar a deixa. Claro que isso dependerá do quanto a questão representa pra nós naquele momento e o quanto isto implica em preservar a nossa vida. Para muitos esta deixa só funcionará em caso extremo, ou seja, se eu não mudar eu morro. Para outros, ela será suficiente para uma verdadeira revolução em suas vidas.

Obstáculos que, juntamente com maus hábitos nos impedem de promover mudanças:

Memória emocional – Emoções criadas ao longo de nossa história de vida.

Ambiente – o que o cerca e quem está a sua volta pode dizer muito sobre você.

Exemplo prático: Todas as manhãs um indivíduo desliga o despertador e ao invés de se levantar para ir à academia, dorme mais um pouco. Ao se levantar se arrepende por não ter ido e mais ainda, porque ao fazer seu check up médico descobre que está acima do peso, fator que compromete sua saúde. Entretanto, todos os dias, ele dorme tarde, porque fica na internet ou na frente da TV.

Mudança de hábito positiva

Deixa: Saúde em alerta, baixa autoestima.

Rotina: Estipular o tempo para fazer o que gosta, em casa, após o trabalho; mudar a música do despertador, deixar a roupa de ginástica à vista.

Recompensa: Se sentir bem, melhorar a autoestima e ter mais predisposição ao longo do dia.

Pessoas que introduzem atividades físicas em sua rotina sentem seus benefícios de diversas formas: sociabilidade, melhora no humor, mais saúde e disposição. Charles Duhhig chama estes hábitos de angulares pois trazem várias recompensas ao mesmo tempo.

Segundo especialistas, fazer boas escolhas no momento presente é decisivo para reforçar as conexões neurais em direção aos hábitos positivos.

7 Maneiras de obter sucesso para realizar mudanças de hábitos:

  1. Tenha um plano que faça parte do seu projeto de vida.

  2. Alie uma boa estratégia à sua força de vontade para executar este plano e juntas elas farão acontecer.

  3. Uma mudança de cada vez. Tenha foco. Priorize o que é mais importante mudar no momento.

  4. Evite as tentações. Quanto maior for a força pra resistir, mais energia você dispenderá. Exemplo: se mantém em sua geladeira alimentos que não pode ingerir porque faz uma dieta específica, vendo-os a todo instante será mais difícil resistir a eles.

  5. Sem perfeccionismo. Se dê um crédito. Mesmo que ao longo do plano você falhe algumas vezes, isto não é motivo pra jogar tudo para o alto.

  6. Aguente firme por não menos que 21 dias. Segundo estudos do College University of London, 66 dias é o tempo necessário para que uma mudança de hábito se torne permanente. Porém, o primeiro terço deste tempo é quando acontecerá o aprendizado no seu cérebro.

  7. Crie metas reais para que elas funcionem.

Quando conseguimos realizar uma mudança de hábito importante passamos a ter mais motivação para uma nova mudança e assim sucessivamente, de forma que estas ações transformem-se em um círculo virtuoso de benefícios e bem estar.

Instituto Ortopedia & Saúde

Rua Itapeva, 490 - 10o. andar - São Paulo, SP (Próximo da Av. Paulista e do Metrô Trianon-Masp)

Telefones:  (11) 3289 8000  |  (11) 3373 8899  |  faleconosco@ortopediaesaude.org.br

Acompanhe-nos pelas redes sociais

  • TV Saúde no Youtube

Curadoria:  Rodrigo N. Ferraz  |  rodrigo@upbeatconsulting.com.br  |  55 11 5199 2919